Dicas | Como ter uma loja online

18:00

A minha relação com a venda de produtos artesanais tem mais ou menos uns 3 anos. Tudo começou devido ao sucesso de um post do blog antigo, onde eu ensinava a reproduzir uma caderneta estilo moleskine em casa e gastando pouco. Com essa publicação, recebi alguns comentários e e-mails perguntando se eu vendia as cadernetas e outros comentários me incentivando a iniciar um negócio com papelaria artesanal, e foi nessa que eu resolvi tentar.
Peguei um valor e gastei todo com material, sem pensar muito, comprei o que eu gostava e achava que iria combinar. Em uma semana produzi as cadernetas e tinha um estoque que eu considerei legal para inciar minhas vendas onlines. Quase todo santo dia eu estava nos correios enviando alguma compra, foi uma das experiências mais incríveis, principalmente quando eu recebia um feedback positivo e gratuito. 
Com o passar do tempo, percebi que eu deveria ampliar meu mostruário, só as cadernetas não estavam sendo o suficiente pra mim, por isso me arrisquei a tentar produzir novos produtos e novamente, gastei um valor em material, sem pensar muito nas possibilidades e aí surge a primeira crise da loja.
Eu não vendi como eu imaginei, fiz inúmeras promoções e acabou que, para não ficar com nada parado e sem uso, dei metade para algumas amigas. Foi assim por um tempo: Produzir e vender metade, morrer tentando vender a outra metade, ninguém comprar e acabar com produtos guardados. Só a partir disso que eu comecei a me interessar e estudar como é ter e manter um negócio, porque não é assim tão simples como eu mesma imaginava e eu já estava cansada desse vai e vem com a lojinha.
Eu ainda não vejo minha loja como um negócio para a vida toda, é algo que faço porque gosto, está me dando um retorno positivo, então estou juntando o útil ao agradável mas, mesmo assim eu continuo tentando colocar em prática o que aprendi para não continuar com os mesmos erros, pra mim é um processo de aprendizagem diário, que está me ajudando a não ter mais produtos parados no fundo do armário e por isso achei útil reunir essas dicas para caso alguém também queria arriscar entrar nesse mundo, tenha uma "base" de como começar...
- Pra quem você irá vender?
Avalie o seu produto e mentalize quem será o tipo de pessoa que irá usar, leve tudo em consideração. Idade, gênero, renda... São essas coisas que podem te ajudar a entender seu público. No meu caso eu estou atualmente com 3 linhas: Papelaria, vestuário feminino infantil e vestuário feminino adulto. Quem compra meus itens de papelaria? Levando em consideração o modo que são feitos e as estampas que geralmente uso, eu entende que são em sua maioria mulheres com mais de 15 anos e geralmente interessadas em organização pessoal para o dia a dia, por isso aderem em sua maioria as cadernetas e estojos com tamanhos compactos.
Quem compra meus itens de vestuário feminino infantil? Pais de modo geral mas, pude constatar nos últimos dias que a maioria são mães, que gostam de roupas mais confortáveis, fáceis de vestir e com estampas delicadas.
Quem compra meus itens de vestuário feminino adulto? Mulheres jovens, faixa etária mais ou menos dos 15 aos 25 anos, que gostam de roupas simples, sem muitos detalhes, fáceis de vestir e lavar, e que não querem gastar muito.

- Onde vender?
Existem diversas plataformas onlines para iniciar seu negócio mas, antes de criar sua conta e iniciar suas vendas, leia todo o regularmente do site, analise os modos de pagamento e todas as taxas. Cada plataforma usa uma política e cada meio de pagamento tem uma taxa que varia de acordo ao sistema que for usado, por exemplo: O PagSeguro cobra X de taxa por transação, o Paypal cobra Y de taxa mas, a loja M não aceita PagSeguro e a loja N aceita os dois sites de pagamento.
Leve isso em consideração, quanto mais flexível for a plataforma que você escolher e quanto menor forem as taxas, melhor será para você.
E um detalhe, considere todas essas taxas no preço final do seu produto!

- Venda bem
Descreva seu produto como se estivesse contando como ele é para uma pessoa por telefone. Escreva no anúncio detalhando as cores, as medidas, como é feito e do que é feito. Coloque fotos reais do produto, sempre bem iluminadas e nítidas. Isso trará uma sensação de confiança para quem for comprar.

- Produza bem
Nada adianta você analisar o perfil de quem você quer atingir, entender o que você quer e pode produzir mas, fazer com material de baixa qualidade e fazer sem capricho. Eu no começo errei feio com isso, porque comprava tudo do mais barato para conseguir vender barato e vender muito mas, não adianta vender muito e vender algo que não seja de qualidade. Hoje eu entende o universo do mundo artesanal, adotei um método de trabalho, o slow designer (depois explico mais sobre isso) e mesmo que os preços estejam um pouquinho (um pouquinho mesmo :B) mais caros do que antes, a qualidade do material e de acabamento de cada peça é incomparável. Eu passo mais tempo produzindo cada produto mas, ficam bonitos e duráveis.

- Divulgue como se não houvesse amanhã
Com sensatez, é claro! Mas esteja onde seu cliente está. Seja no facebook, instagram ou twitter, mas tenha uma rede social para a sua loja, invista na qualidade das imagens e descrição dos produtos. Dialogue com quem seguir/curtir você, esteja sempre ativo divulgando seu trabalho, procurando seu publico algo. São roupas infantis? Procurei grupos de maternidade e paternidade e se for possível, faça uma divulgação por lá. São itens de casamento? Procurei grupos de noivas e noivos, faça sua divulgação por lá... 
De início eu achava que era bobeira ter uma rede social para a loja e agora que eu tenho um instagram só para a loja, eu percebo que é necessário. É mais um meio de contato que o cliente tem comigo, mais um meio de divulgação e mais uma janela para demonstrar que se trata de uma loja real, que existe mesmo alguém por trás dela e passar confiança para o cliente antes da compra. 

- Cuide do seu negócio
Se for possível se regularize,  não é difícil e a contribuição, as vezes, é minima e só trará benefícios. O Sebrae é um ótimo lugar para você tirar todas suas dúvidas a respeito de regularização e você poderá entender qual seguimento será melhor para registrar seu negócio. E cuide do seu fluxo de caixa, tenha em mente quanto você quer fatura em um tempo X, leve isso em consideração e controle seus gastos, tendo controle de quanto é vendido, quanto é gasto com material, quanto é gasto com frete, entre outros gastos. 

- Paciência e persistência
Sempre! Se você estiver fazendo algo do qual você gosta, mesmo que o retorno não esteja sendo o esperado, mantenha a calma e persista. Tudo tem um tempo certo e no momento, nosso país está passando por uma fase complicada, principalmente economicamente, então é normal todos estarem mais cautelosos para compras porém, persistir é o segredo do sucesso.

- Continue a estudar...
Conhecimento é sempre bom, procurei mais sobre como ter um negócio, como gerenciar seu tempo, como ter uma boa organização financeira, entre outros assuntos voltados ao seu negócio, como até mesmo o aprimoramento do seu produto. Para isso existem diversos vídeos no youtube e até mesmo cursos onlines como no Eduk, que foi um forte aliado para que eu pudesse entender melhor tudo isso.

- E faça com amor!
O dinheiro é ótimo mas, não leve só isso em consideração. Tenha carinho pelo que você produz, faça com afeto, cuide do seu produto desde da compra do material até a entrega ao cliente, todo esse cuidado faz toda a diferença.
Não é gostoso receber um presente do qual foi bem embalado e que veio com cartinha? Eu particularmente AMO abrir presente, é a parte que eu mais gosto, as vezes gosto até mais de abrir o presente do que propriamente o presente, hahaha. Então eu penso nisso, embalado tudo com muito carinho, estou seguindo um padrão de embalagens onde todos os produtos são embalados com saquinhos de T.N.T azul claro, com fitas de cetim com uma tag escrito algo, envolvidos em papel de seda e vão dentro de uma caixa de papel kraft. Tenho percebido um ótimo retorno com esse novo método de embalar.

Não são dicas milagrosas e nem as mais profissionais mas, são dicas reais que eu aprendi e coloco em prática e eu espero que de alguma forma possa ajudar alguém por aí..

  • Compartilhe:

Leia também

3 comentários

  1. Sim, simm! Claro que ajuda <3
    Ler essas coisas me dão um empurrãozão a continuar com minha ideia de projeto e ajudam a não desistir com o primeiro obstáculo que surgirrr. Adorei o post, Pam. Super apoio um post sobre os e-commerce que vc já usou. Eu lembro de ver sua lojinha na Tanlup (certo?) e agora você migrou pra minestore. Penso em montar na iluria e tbm já pensei na nuvem shop. Tu já usou mais alguma além das duas? Ah, quais os prós e contras de cada uma delas e tals?
    Estou a loka das perguntas aushuahasha

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, você acredita que não era para ter publicado isso agora? Depois do seu comentário que fui reparar que havia deixado agendada a publicação e sem nem ao menos revisar. Aaaaalok hahaha, mas agora ok, já corrigi os erros.

      Eu já tive em tudo quanto é canto: Tanlup, iluria, elo7, mercado livre, enjoei e agora a Minestore e todas são boas, de um modo geral.
      Preferi a Minestore porque não tem mensalidade, posso colocar domínio personalizado, mudar layout e o estoque é infinito, eu só pago uma taxa de 2% em cima do valor do produto para cada venda e se não vender não preciso pagar nada. Eles tem uma ótima assistência, ficam online no chat e por lá podemos resolver qualquer problema e aceitam 3 meios de pagamento, o único problema é que não pode deixar os 3 meios ativos, precisa escolher só um e eu optei pelo pagseguro porque nunca tive problemas com eles. Por enquanto está sendo só amores..

      A Tanlup era legal mas, tinha estoque limitado, acho que eram uns 20/30 produtos, se eu quisesse colocar mais deveria pagar a mensalidade. E o modo gratuito não dava para colocar domínio personalizado e nem mudar layout.

      O enjoei tem uma visibilidade incrível, nada fica parado por muito tempo mas, cobram 20% em cima de cada venda, não tem como usar domínio personalizado e nem mudar layout. Fora isso, eu gosto muito de lá, optei por usar só para vender meus desapegos. Eles tem contrato com os correios e cada compra é emitido automaticamente a etiqueta do frete pré pago, então a gente só cola essa etiqueta e deixa o pacote nos correios sem gastar nada.

      A iluria era boa também, mas tinha uma mensalidade fixa e para cada mensalidade tinha um número de estoque. Dava para usar domínio e mudar layout mas, não tinham contrato com os correios e se não vender, paga mensalidade do mesmo jeito.

      O mercado livre acho que foi o meio mais estranho que usei hahaha. Lá vende mas não coisas pequenas como eu faço. O bom é que eles também tem esse sistema dos correios para emitir a etiqueta e o meio de pagamento é um sistema próprio deles.

      E o Elo7 foi bom, tem muita visibilidade para produtos artesanais e não tem mensalidade. A unica coisa que me incomoda é a estrutura do site, não tem muitas opções para mudar o layout da loja e o jeito que a loja fica eu acho muito feio hahaha.

      Já a nuvem shop eu não conheço, vou procurar saber mais..

      Excluir
  2. Eita, sério?! O: HAUSHASHAU

    E mulher, muito obrigada, deu pra tirar muitas dúvidas e me acrescentou infos pra caramba!
    Essa coisa de layout feio é pesado, né? kkkkkk
    Eu nem conhecia a minestore, que plataforma legal!
    Meu, eu acho incrível demais essa possibilidade de emitir a etiqueta, tão mais prático.

    brigadãooooo =**

    ResponderExcluir